Amizades tóxicas: Como identificar?



Já falamos aqui sobre relações abusivas entre casais, mas esse tipo de relacionamento pode ocorrer também entre “amigos”.


Costumo dizer que um amigo tóxico é 100 vezes pior do que um inimigo, pois o primeiro sempre está presente, próximo, sabe muitas coisas a seu respeito e por isso a pessoa que é vítima sempre é pega de surpresa, desprevenida e muitas vezes não consegue se dar conta que estava em um relacionamento abusivo por confiar tanto naquela pessoa.


Esse tipo de relação é bastante sútil, a vítima demora tempo considerável para perceber que está sendo lesada, que esse envolvimento altera negativamente suas emoções, gerando conflitos e um verdadeiro caos, desgastando-o. 


Dentro dessas “amizades”, podemos encontrar alguns tipos:


A amizade passiva-agressiva, no qual a pessoa nunca está feliz, sempre está irritada, reclamando.
A amizade competitiva, na qual a pessoa sempre se sente superior e com isso sempre coloca a vítima para baixo.
A amizade dramática em excesso, na qual a pessoa – quase que literalmente – descarrega todo seu medo e sofrimento, não aceita nenhum conselho e utiliza a vítima como uma “válvula de escape”.
A amizade amargurada, na qual a pessoa tem uma visão negativa de tudo, nada está bom para ela.
A amizade manipuladora, na qual a pessoa tira proveito da vítima e está próxima dela por interesse.
A amizade invejosa, na qual a pessoa nunca fica feliz pela conquista da vítima, pelo contrário, sente-se mal pelas vitórias, tentam depreciar a vítima sempre que possível.

Você já passou por isso? Conhece alguém que passou?