Fome emocional x Fome fisiológica



A queixa dos pacientes em relação a alimentação aumentou nos últimos tempos. Muitos relatam que estão “descontando” na comida de forma exagerada. Isso é o que chamamos de fome emocional.

Essa fome emocional está associada a processos cognitivos, sentimentos, pensamentos e emoções. É baseada na relação que temos com a comida e em geral ocorre quando utilizamos o alimento como válvula de escape, para evitar sentimentos desconfortáveis como raiva, tristeza e/ou para aliviar o estresse e a ansiedade. Esse tipo de fome aparece com uma necessidade de comer algo específico, com urgência, como se comer fosse a melhor ou única opção. Com a ajuda da nutricionista Tamara Pedroso, podemos identificar a fome fisiológica. “A fome fisiológica é aquela que irá suprir nossas necessidades de sobrevivência, é o alimento que esta no seu prato com qualidade de nutriente para te dar energia e tudo mais que as células precisam. Comer dessa forma é manter a fisiologia correta do corpo, com qualidade de vida e saúde. Mas é claro que toda essa parte é super importante mas não devemos deixar para lá a relação afetiva com o alimento, o que você precisa é ter domínio sobre isso e não deixar virar uma fome emocional.


Por isso no tratamento nutricional evidenciamos o processo educativo com cardápio, prescrições e orientações que irão te ajudar a se nutrir e amar o que está comendo. Em muitos casos fazer a conciliação desses sentimentos é necessário juntar a nutrição com a psicologia, então conte com conosco para isso!"


Para identificar se a sua fome é emocional ou fisiológica é necessário perceber a raiz do conflito. Há situações ou sentimentos que são gatilho? Você tem outras opções para lidar com as suas emoções e também com a sua alimentação? Buscar alternativas pode ser uma ótima opção para se alimentar de maneira saudável.